Como a gente sabe e acompanha, os carros de fórmula 1 aceleram em diferentes países e para tudo dar certo essa volta ao mundo exige uma estratégia elaborada.

Você sabe que na fórmula 1 qualquer detalhe pode fazer a diferença, principalmente quando existe um intervalo muito curto entre as corridas.

E para fazer os carros chegarem a tempo tem muita gente trabalhando pesado fora das pistas.

Quando a fórmula 1 passa pelas Américas – Estados Unidos, México e Brasil – recebem a categoria e um intervalo de apenas três semanas um enorme desafio que exige precisão agilidade e muito cuidado no transporte dos equipamentos.

Toda corrida realizada no intervalo de uma semana é um grande desafio, para todas as pessoas envolvidas.

Sabendo de tudo isso, você já parou para pensar como funciona toda logística da Fórmula 1?

 

Tudo começa no circuito

Antes de qualquer coisa os mecânicos que tem de deixar tudo pronto no domingo à noite, depois da corrida, para que assim os parceiros de logística possam recolher todo o material, pegar tudo e despachar para o próximo destino, porque na terça-feira as coisas precisam chegar ao novo circuito.

Todo esse trabalho de logística é feito pela própria fórmula 1 em parceria com a DHL, onde mais de 2000 toneladas são enviadas para as corridas fora da Europa e em média 1500 toneladas partem de navio.

 

A logística pelo mundo

As equipes lotam contêineres que são despachados para destinos diferentes ao mesmo tempo sendo eles um para os Estados Unidos, um para o México e outro para o Brasil, sendo transportado por navio.

Já os carros e equipamentos mais importantes embarcam em aviões especiais, onde essa carga totaliza 600 toneladas e são necessários seis Boeing-747 para transportá-la.

O embarque nos aviões cargueiros é feito seguindo regras muito específicas onde a prioridade segue da seguinte forma.

    1. Material das equipes, combustível e lubrificantes são despachadas em caixas diferentes à prova de fogo e resistentes a quedas de 6 metros.
    2. Os equipamentos de transmissão de tv, que pertencem à organização da fórmula 1, vem logo em seguida.
    3. Por fim são acomodados as cargas das áreas vips e do paddock.

 

Chegando no Brasil

No Brasil a chegada de tudo isso é centralizada no aeroporto de Campinas (Viracopos), onde o desembarque total leva 12 horas.

Tudo isso faz parte de um show que a fórmula 1 leva para 19 países de cinco continentes, viajando 220 mil quilômetros todos os anos e quando chega o fim de semana de corrida o trabalho continua.

Existe uma equipe de logística 24 horas em todas as etapas para encomendas urgentes.

A fórmula 1 é um negócio de velocidade obviamente, pois há muitas novidades, há muitas peças desenvolvidas, e mesmo peças reservas, que podem não ser tão boas quanto elas deveriam.

Sendo assim tudo é tão ágil que se as peças tiverem que ser redesenhadas, as mesmas devem ser prepadaras para o envio rápido.

Com tudo isso agora está tudo certo, basta sentar na frente da sua tv para ver a fórmula 1 que está pronta para continuar rodando com o máximo de desempenho.