A logística é um fator importante no sucesso da empresa, um tanto quanto óbvio, não?

“Mas pare e pense, que para beneficiar os negócios, é necessário executar um planejamento, execução e controle cuidadosos, pois essa abordagem significa que certas despesas podem estar relacionadas ao pessoal responsável pela gestão da organização deste processo.”

Sim, particularmente achei a frase que escrevi um tanto complicada, pois entendo que falar bonito não é uma boa prática, sendo assim vou lhe mostrar algo mais prático

Então fica aqui o compromisso de que este post será fácil e prático.

 

#1. Conheça seus custos logísticos

O primeiro passo é medir seus custos logísticos. A logística abrange as seguintes atividades: armazenagem, movimentação de materiais, estoque e transporte.

É extremamente necessário conhecer quais são estes gastos, pois isso exerce uma grande ajuda na tomada de decisões.

Dessa forma, pode-se realizar um comparativo de custos x orçamento, que ajuda a identificar em quais categorias os dispêndios estão maiores do que o adequado, quais pontos precisam de atenção e como direcionar as ações de redução.

Além disso, a definição de metas torna-se mais eficaz, facilitando o acompanhamento dos resultados.

 

#2. Racionalize suas rotinas de entrega

Utilize um bom sistema TMS para gerenciar o tráfego dos itens.

Isso evita, por exemplo, erros que podem levar a custos como enviar produtos separadamente pertencentes à mesma entrega, ou até mesmo realizar uma entrega trocada.

Além disso, a utilização de uma ferramenta voltada para a elaboração de rotas pode ajudar a encontrar e definir quais são os percursos mais eficientes para as entregas, considerando o volume das cargas, os pontos de distribuição, o gasto de combustível, entre outras variáveis.

 

#3. Estabeleça contato com diversos fornecedores

É recomendado possuir variadas opções de transportadoras, para não depender dos preços e condições de apenas uma.

Isso permite que se negocie preços melhores, regiões de entrega mais interessantes e maior flexibilidade no volume de cargas e remessas.

Possibilita também um melhor atendimento das necessidades do cliente, com variadas condições de frete e preços mais atrativos.

Vale ressaltar que em um e-commerce essa variedade de prazos e preços pode ser fundamental para o fechamento de uma venda — ou gerar abandono do carrinho.

 

#4. Utilize formas de entrega alternativas

Dependendo das circunstâncias de entrega, como produtos de menor volume, torna-se mais lucrativo realizar o frete por meio de um modal alternativo.

Existem diversas opções: carros menores (como Fiorino), motos ou até mesmo bike, onde essa prática de Bike Delivery vem crescendo muito!

Optar por meios alternativos pode ser uma maneira inteligente de reduzir os custos logísticos.

 

#5. Monitore as contratações de frete

Depois do planejamento e da execução, uma etapa muito relevante é o controle.

Só assim é possível identificar o que está dando certo, as falhas, os lucros, os prejuízos, entre outros aspectos fundamentais para o sucesso do negócio.

Desta forma, pode-se analisar a situação atual da empresa, o que permite maior facilidade na tomada de decisões e na formulação de estratégias novas.

 

#6. Invista na terceirização logística

Uma recomendação é avaliar a possibilidade de uma logística terceirizada em seu negócio. Atualmente, há no mercado uma grande variedade de empresas que oferece estes serviços.

É importante escolher a mais adequada aos interesses e necessidades da sua empresa.

A terceirização gera diversas consequências positivas, como simplificação dos processos da empresa, melhorias na experiência do cliente e, principalmente, redução de custos logísticos.

#7. Faça a previsão de demanda

A previsão de demanda pode ser realizada com base nos dados da área comercial (histórico de vendas e análise do comportamento do mercado), e da gestão de estoques (giro dos produtos).

Ao cruzar essas informações, torna-se possível criar estimativas de qual será a procura dos clientes nos próximos períodos e organizar a aquisição de novos produtos.

Assim, a composição do estoque passa a se basear na realidade do negócio, evitando problemas como faltas, excessos e desperdícios.

Tudo isso influencia diretamente nos custos operacionais, na redução de perdas e prejuízos e na otimização do gasto do capital de giro do negócio.

 

#8. Acompanhe indicadores de desempenho

Os indicadores de desempenho (KPIs) são ferramentas de gestão que ajudam a identificar os resultados dos processos. Eles ajudam a reduzir os custos logísticos por meio da identificação de falhas e oportunidades de melhoria. Sendo assim, deve-se acompanhar métricas como:

    • custos com fretes;
    • custo da frota;
    • índice de avarias e extravios;
    • quantidade de reentregas.

Este são só alguns custos que você pode ter, claro que os custos variam conforme cada tipo de operação.

A redução de custos logísticos é crucial para a sobrevivência e competitividade de uma empresa no mercado, mas deve ser feita com planejamento e de forma estruturada.

O ideal é realizar análises antes de tomar decisões, visando evitar ações que diminuam os gastos, mas comprometem a qualidade dos produtos e serviços oferecidos.