Hoje eu tô aqui para conversar com você um pouquinho mais a respeito dos 7 passos para montar uma transportadora.

Este post é para você que está pensando em abrir uma transportadora ou até mesmo precisa de uma ajudinha pois ainda existem muitas dúvidas, acredito que vai ser bem esclarecedor no que você tem que fazer para começar a trabalhar com as sua transportadora.

 

#1 – Contrate um contador

Então primeiro passo que você tem que fazer é de fato abrir a transportadora, e para isso eu aconselho procurar um contador especializado na área de transportadoras.

Pois ele vai ter todo o conhecimento necessário para você começar de uma maneira mais orientada e rápida.

Com esta orientação será mais fácil de lhe dar com a parte burocrática no que se refere a tributação.

O grande diferencial com essa dica é que não há ninguém melhor que o contador para lhe dizer qual o Regime Tributário que a sua empresa irá começar.

Pois esta informação será dada baseado nas informações se a sua empresa possui frota própria ou até mesmo se as operações irão iniciar em outro estado.

 

#2 – Cadastro na SEFAZ

Estar cadastrado na Secretaria da Fazenda do Estado é essencial, poi o transporte é considerado uma prestação de serviço entre estados e municípios, logo existe a geração de ICMS, que é um dos impostos básicos no momento que é emitido o CT-e.

 

#3 – Cadastro na ANTT

Você também deverá efetuar o cadastro na ANTT Agência Nacional de Transportes Terrestres, pois é a ANTT que ira regulamentar a sua empresa para que assim possa fazer o transporte de carga em todo território nacional.

Este registro será importante mas a emissão MDF-e (Manifesto de Documentos Fiscais Eletrônico), para que assim a sua empresa possa emiti-lo ou até mesmo ser indicado no MDF-e de outra empresa.

De acordo com a ANTT, todas as empresas de transporte rodoviário de cargas, as cooperativas e os transportadores autônomos deverão se registrar. No caso dos já registrados, há um prazo de 180 dias (a partir da publicação da Resolução, 12 de março de 2009) para comparecer à Agência e renovar o registro.

 

#4 – Seguro de carga

Esta é uma das dicas que lhe afirmo que vai ser a mais importante de todas.

Pois toda e qualquer transportadora deve ter a apólice RCTR-C – Responsabilidade Civil do Transporte Rodoviário de Carga vinculada a uma seguradora, não só o fato de ser obrigatório também será crucial evitar qualquer contratempo com a mercadoria é claro.

Além de assegurar a mercadoria, o seguro é obrigatório para que você possa gerar o MDF-e, pois sem ele você não conseguirá fazer qualquer tipo de transporte.

Mesmo que o seu cliente tenha seguro, é preciso que você tenha seguro também, pois a apólice de RCTRC é obrigatória para qualquer transportador de carga.

Lembre que seguro não é custo e sim um investimento, pois muitas transportadoras acabam abrindo falência por não ter dinheiro para o ressarcimento de uma mercadoria avarias ou até mesmo roubada.

 

#5 – Cadastro em uma IPEF

Se a sua empresa for trabalhar com motoristas terceiros (TAC – Transportador Autônomo de Carga ), será muito importante você cadastrar a sua empresa em uma Instituição de Pagamento Eletrônico de Frete (IPEF), assim você conseguirá gerar o CIOT.

CIOT é o código numérico obtido por meio do cadastramento da operação de transporte no sistema eletrônico da ANTT.

Sua função é regulamentar o pagamento do valor do frete referente à prestação dos serviços de transporte rodoviário de cargas e seu uso é obrigatório. A numeração é única para cada contrato de frete e deve constar no devido Contrato ou Conhecimento de Transporte Eletrônico – CT-e.

#6 – Certificado Digital

O Certificado Digital será um dos itens muito importante para os processos de emissão e consulta de documentos fiscais.

Pois sem ele não é possível gerar um CT-e ou qualquer outro documento.magine que se sua empresa não tiver.

A emissão do Certificado pode ser feita junto com o seu contador, pois ninguém melhor que ele para lhe ajudar neste processo.

 

#7 – Sistema TMS

De nada adianta todos os passos anteriores se você não possui uma gestão para tudo isso.

Neste passo será muito importante você pensar em um sistema que faça toda a gestão do transporte de carga.

Um sistema TMS será muito útil para que você consiga emitir seus documentos fiscais, fazer a averbação do seguro, controlar o pagamento do CIOT, gerenciar sua frota, entre outras aplicações mais avançadas.

 

Agora me diga, você imagina que uma transportadora precisava de tudo isso?