Você sabia que o seguro de carga não se trata só de cobrir o risco da mercadoria transportada?

O que você deve ter consciência é que o seguro serve para proteger a sua empresa, pois se houver o sinistro de alguma mercadoria com o valor alto e a mesma não estiver assegurada, isso quer dizer que a sua empresa terá que arcar com as custas desta mercadoria.

Sendo assim pense que o valor da mercadoria pode levar a sua empresa a falência.

 

Por que contratar seguro de carga?

O seguro de carga é obrigatório no território nacional, conforme regulamentado pelo Decreto Nº 61.867/67.

Sim, toda e qualquer transportadora deve ter seguro, principalmente o seguro RCTR-C com a apólice com o ramo de apólice 54, que neste caso é obrigatório.

Mas calma, nesse post eu te explico como funciona cada tipo de seguro.

 

Qual seguro contratar?

Conforme dito anteriormente o seguro com a apólice RCTR-C é obrigatório, mas existem mais alguns tipos de apólices, tais como:

  • 54 – RCTR-C – RESPONSABILIDADE CIVIL DO TRANSPORTE RODOVIÁRIO DE CARGA
  • 55 – RCF-DC – RESPONSABILIDADE CIVIL FACULTATIVA SOBRE DESAPARECIMENTO DE CARGA
  • 52RCTAC – RESPONSABILIDADE CIVIL DO TRANSPORTADOR AÉREO DE CARGAS
  • 58RCOTMC – RESPONSABILIDADE CIVIL DO OPERADORA DE TRANSPORTE MULTIMODAL DE CARGAS.

Claro que existem muito mais tipos de apólices, mas neste caso iremos focar somente nestas apólices.

 

54 – RCTR-C 

Este é o seguro contratado pelo transportador para garantir o ressarcimento da transportadora para que assim possa compensar os danos causados as mercadorias transportadas

Um exemplo muito claro disso, é se seu caminhão tombar e a carga tiver avaria o seguro irá cobrir.

Isso claro se toda a documentação estiver correta.

 

55 – RCF-DC

Este é um seguro facultativo (não obrigatório) é o que garante que o segurado consiga arcar os custo perda ou dano material da carga.

Exemplo claro desta cobertura é quando o caminhão tomba e a carga é saqueada, caso o caminhão venha somente a tombar o 54 – RCTR-C já seria necessário, mas no caso de roubo, o seguro  55 – RCF-DC já cobre este tipo de roubo.

 

52 – RCTA-C

Este seguro garante ao segurado, o pagamento das reparações, conforme o CBA – Código Brasileiro de Aeronática ou convenções que regulam o transporte aéreo de carga, que os danos materiais sofridos pelas mercadorias sido entregues para transporte, desde que os danos materiais ocorram durante o transporte e sejam causados diretamente por:

  • colisão, queda e /ou aterrissagem forçada da aeronave;
  • incêndio ou explosão na aeronave;
  • incêndio ou explosão nos depósitos;
  • armazéns ou pátios usados pelo Segurado nas localidades de início;
  • pernoite;
  • baldeação e destino da viagem.

 

58RCOTMC

Da mesma forma que funciona o 55 – RCF-DC e 54 – RCTR-C , o RCOTM-C cobre os mesmos tipos de danos e perdas somente para o CTE multimodal e trasportados por frota própria, em caso da mercadoria ser repassada para outro transportador efetuar o transporte o mesmo também deve ter seguro.

.

Meu cliente tem seguro, eu preciso ter também?

Essa é uma dúvida muito frequente, pois nesse caso o cliente embarcador já possui seguro da mercadoria e mesmo assim o embarcador deve ter seguro de carga?

A resposta é sim, pois esta informação é tratada via carta DDR, onde a mesma será registrada na seguradora do transportador e assim isentando a cobrança de segura da transportadora.

Resumindo, o transportador irá averbar documento na seguradora e a mesma vericará se o cliente embarcador possui seguro e assim irá isentar a cobrança do transportador.

Pois lembre que ter seguro é lei, sendo assim você pode ser autuado.

 

Quando a transportadora pode ter prejuízo?

Lembre que a cobertura do seguro é dada quando é iniciado o risco para a mercadoria, sendo assim quando a mercadoria está em trânsito é iniciado o risco.

É importante nunca deixar para depois!

Em caso de sinistro com a carga e você acionar o seguro, antes de tudo a averbação será verificada e tudo o que foi embarcado deve constar lá.

Se tiver algum item faltando, ou se foi deixado para fazer depois do início da viagem, é beeem possível que a indenização seja recusada.

Isso mesmo! Você sabia? A seguradora tem total direito de recusar o pagamento de qualquer indenização, tanto por negligência, quanto por risco de fraude.

Por isso é indispensável que você preencha tudo com muita atenção, porque qualquer equívoco pode resultar em perda.

Algumas transportadoras permanecem preenchendo manualmente. Mas o ideal é migrar para os meios digitais, para evitar conflitos com a seguradora.

Porque durante o cotidiano, é mais fácil uma negligência em um documento físico do que eletrônico.

 

Quais são os dados necessários na averbação?

Alguns documentos são indispensáveis para preencher a averbação.

Vamos conferir os dados necessários para isso!

Descrição e valor da carga

Atenção! Sem dúvida, esse é o mais importante para a seguradora.

Em caso de sinistro, se tiver algum erro nas informações, será a causa da indenização ser rejeitada.

CTe e chave de acesso

Nesse documento se preenche a identificação da mercadoria. Por exemplo: cargas congeladas, perecíveis, a granel, vivas, inflamáveis, radioativas e etc.

Além disso, a origem e o destino da carga são preenchidas também, junto da rota que o motorista irá percorrer.

É preciso ter cuidado! Pois se for desviada a rota informada e ocorrer um sinistro, a seguradora pode rejeitar a indenização.

Informações do motorista e do veículo

Assim como a descrição e valor da carga, os dados do motorista e do veículo devem ser detalhados e preenchidos com muito cuidado.

É um meio de comprovar o responsável por seguir o trajeto.

Número da apólice do seguro

Através desse número que a transportadora aciona o seguro, e a seguradora identifica o segurado.

 

Fale com seu corretor

Ninguém melhor do que o seu correto para entender exatamente do que você precisa.

Pense nele como o seu melhor amigo.

Jogue limpo sempre, pois é ele quem será o seu melhor amigo neste caso, pois seguro de carga é um tanto quanto complexo.

É o corretor que conseguirá entender toda a sua operação e assim enquadrar toda e qualquer situação da sua operação.

Então pense no seguro como um investimento para a sua empresa e não um custo, pois é o seguro de carga que irá evitar a falência da sua empresa quando houver um sinistro de uma carga de valor alto.

 

E aí, o que achou? Compartilha com a gente…

Você faz a averbação por meios manuais ou digitais? Já passou por alguma complicação devido à falha no procedimento?

Se ficou com alguma dúvida, comenta aqui embaixo!