Existe muitos documentos que são importantes na hora de transportar uma carga de um lugar para o outro, você sabe quais documentos são esses?

Preparamos esse post com os seis documentos fiscais indispensáveis para o transporte de mercadorias. Boa leitura!

 

1. NOTA FISCAL ELETRÔNICA (NF-e)

O primeiro documento que iremos falar é a Nota Fiscal Eletrônica que é emitido pelo dono da mercadoria (embarcador).

Sua função é protocolar a venda de mercadorias, categorizando quem é o comprador e o vendedor do produto em transporte.

Para que você possa transportar a mercadoria somente com nota fiscal você deve ser o emitente ou o destinatário da mercadoria

DOCUMENTO DIGITAL/FÍSICO

A NF-e é realizada e gerada somente digitalmente através da Receita Federal o que facilita na hora de enviar através de e-mails para outros lugares, poupando tempo e agilizando no recebimento das informações.

Assim como, a nota fiscal tem a sua versão digital ela também possui a versão física, o DANFE (Documento Auxiliar da Nota Fiscal Eletrônica) este documento é de uso obrigatório e deve estar junto da carga desde o ponto de partida até o seu destino.

Também é utilizado no momento de coletar assinatura de quem está recebendo a carga transportada junto com o registro do horário que aconteceu a entrega.

2. CONHECIMENTO DE TRANSPORTE ELETRÔNICO (CT-e)

O CT-e tem como finalidade comprovar o fornecimento de transporte de cargas. É feito eletronicamente para qualquer tipo de transporte. Quem tiver a necessidade de emitir um CT-e primeiro irá precisar da autorização e o cadastro na SEFAZ (Secretaria da Fazenda).

PRA QUE SERVE?

Esse documento também é usado na entrega da mercadoria, para que a pessoa que está recebendo assine o documento e conclua a prestação do serviço em questão.

Caso o pedido não esteja com a quantidade correta ou com danos, a carga deve retornar com o DACTE (Documento Auxiliar do Conhecimento de Transporte Eletrônico).

DOCUMENTO FÍSICO

Assim como, o NF-e possuía o seu documento de auxílio, o CT-e também possui o DACTE. Este é usado para conferir dados no site da Secretaria da Fazenda e em fiscalizações.

 

 

3. MANIFESTO ELETRÔNICO DE DOCUMENTOS FISCAIS
(MDF-e)

Com a intenção de diminuir a necessidade de possuir vários documentos, foi criado pelo governo o MDF-e.

Cuja a função, é ser usado em momentos em que o caminhão está transportando mercadorias diferentes e que necessitam de diferentes documentos fiscais, e de  diferentes CT-e’s dando para cada mercadoria uma identificação apropriada.

VANTAGENS

Outro benefício do MDF-e é que reúne todas as informações necessárias em um lugar só, é válido para todo o Brasil e com ele é possível reconhecer os detalhes da carga e do transporte.

DOCUMENTO FÍSICO

O MDF-e assim como, os outros documentos fiscais citados acima, possui o seu documento de apoio o Documento Auxiliar do Manifesto Eletrônico de Documentos Fiscais (DAMDFE) sua cópia física também para fins de fiscalização.

 

4. NOTA FISCAL DE SERVIÇOS ELETRÔNICA (NFS-e) 

O NFS-e tem como função de catalogar os serviços oferecidos. O seu propósito é confirmar o recolhimento de impostos sobre qualquer mercadoria (ISSQN ou ISS).

O valor sobre o imposto oscila entre 2% e 5% de acordo com a lei de cada cidade, portanto, o modelo de declaração também pode mudar conforme a cidade.

A Nota Fiscal de Serviços Eletrônica é usada para transportes e na área da logística para registro e cobrar os transportes realizados dentro das cidades.

 

5. CARTA DE CORREÇÃO ELETRÔNICA (CC-e) 

A carta de correção eletrônica como diz no nome tem como propósito de corrigir falhas em documentos como a nota fiscal eletrônica e o conhecimento de transporte eletrônico.

O QUE CORRIGIR?

Os erros que necessitam de correção, estes não devem ter relação com a mudança do destinatário, endereço, a data que foi feito a nota fiscal eletrônica e outros.

O CC-E não é obrigatória em todos os estados do país, portanto é importante que entre no site da Secretaria da Fazenda e verifique a necessidade do uso da carta de correção, e alguns lugares o modo digital do documento não é usado, logo o impresso deve ser sempre utilizado.

6.DECLARAÇÃO DE MERCADORIA

Declaração destina-se apenas a acompanhar carga que não se destina a comercialização, como por exemplo, mudanças, bagagem não acompanhada, artigos pessoais,etc.

Em caso algum deverá ser utilizada para mercadoria que se destina a comercializar, nem para a sua devolução.

 

Qualquer dúvida favor contatar nosso suporte ou plantão em casos de urgência conforme telefones abaixo:

 

Porto Alegre: (51) 3500-7018.
Curitiba: (41) 3891-0865.
São Paulo: (11) 4858-0865.
Brasilia: (61) 3686-0865.
Salvador: (71) 2886-0835.