Para definir o valor do frete, é feito um cálculo com as seguintes informações: peso real da mercadoria ou peso cubado (o que for maior), valor da Nota Fiscal, local de origem e de destino. O frete será calculado com base nestas informações e, se for o caso, poderá ser somado ao valor Taxas (GRIS/ADV, SEC/CAT, TAS e PEDÁGIO) e Tributos existentes (ICMS).

No Conhecimento do Transporte há a previsão, conforme mostrado abaixo, da cobrança de uma taxa denominada SEC/CAT

Onde:

SEC = Serviço de Coleta
CAT=Custo Adicional de Transporte
Segundo a NTC, a maioria das empresas não mais faz uso dessa taxa na composição do Frete.

Nas tabelas de frete preparadas essa Taxa (SEC/CAT) foi substituída pelas Taxas de Despacho e pela Taxa de Administração SEFAZ – TAS, cujos valores de referência, segundo as tabelas publicadas em maio/2009, são os seguintes:

 

O que é TAS – Taxa de Administração SEFAZ
A TAS destina-se a ressarcir os custos administrativos dos transportadores criados pelos entraves fiscais, exigências burocráticas e apreensões de mercadorias pela Secretaria da Fazenda.

Forma de cobrança:
valor fixo por conhecimento emitido

O que é Taxa de Despacho
Essa taxa se destina a ressarcir o transportador pelos custos operacionais e administrativos envolvidos na operação de despacho e nas atividades de coleta e entrega. Considera-se despacho o conjunto de mercadorias acobertadas pela mesma Nota Fiscal. No entanto, admite-se quando se trata de carga de um mesmo destinatário, o agrupamento de notas fiscais em um mesmo despacho.

Forma de cobrança:
valor fixo por despacho, acrescido de mark-up e margem específica de cada empresa

Lembramos que estas generalidades não são obrigatórias, ficando a critério da negociação com o cliente para cobrança destas taxas.